Deltan Dallagnol anuncia jejum em rede social a favor da Lava-Jato e gera polêmica

Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato no Paraná, aproveitou o Domingo de Páscoa para incentivar a prática de um exercício espiritual muito popular entre os cristãos: o jejum. Quarta-feira, segundo ele, é o dia D da luta contra a corrupção na Operação Lava Jato, referindo-se ao julgamento do habeas corpus do ex-presidente Lula no Supremo Tribunal Federal (STF). “Uma derrota significará que a maior parte dos corruptos de diferentes partidos, por todo país, jamais serão responsabilizados, na Lava Jato e além. O cenário não é bom. Estarei em jejum, oração e torcendo pelo país”, escreveu Dallagnol no Twitter.

O juiz Marcelo Bretas, também é evangélico, fiel da Comunidade Evangélica Internacional da Zona Sul no Rio, respondeu a convocação de Dallagnol no Twitter  dizendo: “Caro irmão em Cristo, como cidadão brasileiro e temente a Deus, acompanhá-lo-ei em oração, em favor do nosso País e do nosso Povo. https://twitter.com/deltanmd/statu

Esse reações negativas por parte de alguns internautas, que criticaram a demonstração de parcialidade e as referências religiosas. No entanto, muitos também declararam apoiar a iniciativa de Bretas e Dallagnol.

REAÇÕES

Esse post do procurador Deltan Dallagnol teve reações negativas por parte de alguns internautas, que criticaram a demonstração de parcialidade e as referências religiosas. Todavia, alguns também declararam apoiar a iniciativa de Dallagnol.

O QUE DIZ A BÍBLIA SOBRE O JEJUM

Contrariando os fariseus, que faziam do jejum um espetáculo público, Jesus nos ensinou que o jejum deve ser secreto (Mateus: 6:16-18). Não devemos transformar o jejum em um espetáculo midiático com postagem em rede social.

Ainda que o Novo Testamento nunca ordene o jejum, ele mostra que os cristãos primitivos ocasionalmente jejuavam, quando as circunstâncias eram propícias. Por exemplo, em Atos 13:2-3, a igreja jejuava quando enviava dois dos seus professores numa longa viagem de pregação. Em Atos 14:23, as igrejas jejuavam quando indicavam anciãos. Jejuar nunca deveria ser pensado como um meio de manipular o favor de Deus ou como um modo de fazer com que Deus ficasse mais atento às nossas orações. Antes, jejuar pode ser um meio de nos aproximarmos do Senhor, orando e meditando no Senhor, sem interrupção para tomar uma refeição. E o jejum é, freqüentemente, o acompanhamento natural da aflição e da triste confissão de pecado.

 

Deixe uma resposta