Cuidado, motorista: Vitória (ES) lança aplicativo para flagrar infrações de trânsito

A Prefeitura de Vitória, de forma inovadora, traz para a capital um aplicativo que vai possibilitar qualquer cidadão a se tornar “um agente de trânsito” 24 horas por dia e denunciar as infrações que flagrar nas ruas da cidade.

O aplicativo Capester, que recebeu o apelido carinhoso de “Tô de olho Vitória”, foi desenvolvido por uma empresa israelense e permite o envio de vídeos com os flagrantes registrados pela população e vai funcionar em caráter educativo por um período de teste de seis meses. O projeto não tem custos para o município. O aplicativo já está disponível na plataforma Android e também para o sistema IOS.

O decreto foi assinado pelo prefeito Luciano Rezende na última sexta-feira (23) e o vice-presidente executivo da empresa, Ariel Galinsky, esteve presente durante a assinatura.

No Brasil há cerca de três meses, Vitória será a segunda cidade brasileira que testará o aplicativo de forma gratuita em fase piloto. Ele está sendo testado por moradores de Porto Alegre (RS).

A novidade está alinhada à diretriz estratégica de gestão compartilhada do prefeito Luciano Rezende, pois permitirá que o próprio munícipe fiscalize o trânsito, auxiliando a Prefeitura na garantia do respeito às leis de trânsito.

Gestão compartilhada

No Brasil há cerca de três meses, Vitória será a segunda cidade brasileira que testará o aplicativo de forma gratuita em fase piloto. A novidade está alinhada à diretriz estratégica de gestão compartilhada, pois permitirá que o próprio munícipe fiscalize o trânsito, auxiliando a Prefeitura na garantia do respeito às leis de trânsito.

“Somos uma empresa jovem e acho muito importante estabelecer essas parcerias com governos locais e principalmente com governos visionários, como é o caso de Vitória. Estamos felizes com a parceria com Vitória para torná-la um exemplo mundial de cidade que se beneficia da participação dos cidadãos para melhoria da comunidade, uma cidade na qual todos se respeitam. Respeito mútuo e o senso de responsabilidade pela coletividade são a base da existência do Capester”, disse o vice-presidente da empresa, Ariel Galinsky.

Imagem divulgação

Celular

O aplicativo Capester já está disponível na plataforma Android e também para o sistema IOS

“O cidadão vai gerar uma imagem de qualquer situação que não esteja correta na cidade. No primeiro momento nós vamos focar em infrações graves de trânsito. Essa é uma forma da prefeitura utilizar a tecnologia em benefício de uma melhor prestação de serviço na cidade, fazendo com que Vitória seja ainda mais inteligente”, explicou o prefeito Luciano.

Os vídeos podem ser enviados de forma anônima e vão auxiliar na educação do trânsito e no monitoramento do tráfego, contribuindo para a mobilidade urbana de Vitória. Os que passarem pela primeira triagem pelo algoritmo do aplicativo serão analisados por uma Comissão Técnica formada por Guardas Municipais de Trânsito da Secretaria Municipal de Segurança Urbana (Semsu) e por servidores da Secretaria Municipal de Transportes, Trânsito e Infraestrutura Urbana (Setran) nomeados por Portaria da Autoridade de Trânsito de Vitória.

Classificação

Caso seja comprovada a infração, será feito o registro que vai subsidiar a possível notificação de advertência por parte da autoridade competente. Os registros analisados pela Comissão Técnica serão classificados da seguinte forma: I – “Passível de advertência” para aqueles em que se comprovou uma ocorrência de violação de leis de trânsito; II – “Ocorrência de outra natureza” para aqueles em que o objeto denunciado não se refere à trânsito; “Não passível de advertência” para aqueles em que não foi comprovada ou não existirem violação de trânsito ou de qualquer outra natureza.

Os registros classificados como “Passível de advertência” serão encaminhados à Setran, que fará o envio de “Advertência Educativa” para os casos em que julgar necessário, sendo a correspondência destinada ao proprietário do veículo envolvido na infração de trânsito, preferencialmente por meio eletrônico.

A “Advertência Educativa” não possuirá caráter de auto de infração, não gerando penalidades na forma do Código Brasileiro de Trânsito, terá caráter meramente educativo.

“Os registros vão ainda orientar as operações de fiscalização de trânsito. No mapa dentro do painel administrativo serão identificados os locais com mais ocorrências por tipo de ocorrência. Por exemplo, se no Centro tiver o maior número de casos de estacionamento irregular em vagas para deficientes, os agentes de trânsito vão intensificar a fiscalização naquela área”, destacou o secretário de Transportes, Trânsito e Infraestrutura Urbana de Vitória, Tyago Hoffman. Com informações SEGES/SUB-COM – Prefeitura de Vitória