Pastor Silas Malafaia no programa Conexão Repórter

O programa “Conexão Repórter”, comandado pelo jornalista Roberto Cabrini, entrevistou neste  domingo (12) , depois do “Programa Silvio Santos”, no SBT, o pastor Silas Malafaia.

 O programa foi recheado de pautas consideradas polêmicas, mas quem conhece o trabalho do presidente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo não se surpreendeu com as colocações.

Cabrini ao pastor Malafaia o que tem lhe incomodado tanto: “Dizer que estou sendo acusado de lavagem de dinheiro. Isso é a maior bandidagem”. Complementou o pastor Malafaia dizendo que “O processo tem mais de mil páginas, meu nome aparece em 2 linhas e meia. Eu recebi uma oferta de R$ 100 mil, depositei na minha conta, declarei ao Imposto de Renda e poderia ter usado como usei outras ofertas. Não tem nada ilegal, vou provar com toda essa documentação que sou inocente, não tenho nada a ver com esses canalhas e bandidos, que roubaram mais de 70 milhões, isso é um jogo”, reclama o pastor, que nega qualquer envolvimento com a máfia da mineração.

Malafaia disse ainda que não teme ser preso: “Não, não tem uma vírgula de motivo para isso, não tem uma prova de que eu participei de uma Operação para roubar a nação. Isso é uma infâmia, é uma safadeza, querem me denegrir porque eu sou um pastor que tem influência na sociedade”. Em depoimento à PF na semana passada, o advogado que fez a doação inocentou o pastor.

 O apresentador  perguntou ao pastor o que ele faria se um dos seus filhos fosse gay: “Profundamente, sem abrir mão do meu amor, mas diria para ele a verdade, dizer que está errado, porque amar não significa ser conivente. Toda a história da sociedade está sustentada por um homem, a mulher e seus filhos. A prole. Isso aqui é a sociedade, história da civilização. Querem mudar esse status, vamos ver esse resultado nas gerações futuras”.

pastor Silas enfatizou o propósito de sua campanha de boicote à Disney por causa da exibição do primeiro beijo gay em um desenho animado da empresa, ele reclamou: “O que a Disney quer? Beijo gay? Erotizar crianças é a coisa mais covarde que se tem. A Disney quer colocar o homossexualismo para as crianças… E eu vou me calar? Aí querem me bater. Você vai me desculpar, eu não posso me calar”.

Desde o início do programa, o apresentador tentou colocar que Malafaia tem um “império” e que por ter ficado rico é acusado de ser um “mercador de almas, que visa sempre o lucro”. O pastor explicou que ele não é dono da igreja e que as pessoas que contribuem com dízimos e ofertas fazem isso “pela fé” e entendimento das Escrituras.

O  apresentador do programa então inquiriu como funcionaria a “indústria da fé” e se Malafaia possuía os 150 milhões de dólares que a revista Forbes atribuiu ao líder religioso. O pastor, então, voltou a dizer que isso não procede e deixou claro que todas as suas contas estão abertas e declaradas no Imposto de Renda.

O pastor Malafaia disse que  “Deus não é contra a riqueza, Deus é contra a exploração. Deus não é contra o dinheiro, Deus é contra o amor ao dinheiro”.

Contestando as acusações de ser homofóbico, disse que a homofobia é algo determinada pela psiquiatria e não pelo movimento gay. Sobre suas posturas, ressaltou que “ter opinião não é crime”. Apesar das críticas, continuará se posicionando contra questões como casamento gay e aborto.

 

Assista Entrevista Completa: